Até que ponto estamos educando as crianças?

Certa vez, estava num café, e presenciei uma cena que me chamou atenção e gostaria de compartilhar.

Uma mulher chegou acompanhada de uma criança que deveria ter por volta de 2 anos e uma outra senhora. Logo sentaram, e como qualquer criança curiosa, o menino mexia em tudo, notei que ele também estava irritado e agitado. Sua mãe o repreendeu, além de dar um tapa em sua mão, também alterou a voz em pleno café para ele não mexer em nada, sem quaisquer outra explicação para o menino.

Ela completamente alterada disse para a amiga:

- Se esse menino pensa que vai fazer o que quer ou fazer malcriação, está enganado, sento a mão nele até ele aprender a me respeitar e a me obedecer!

De pronto me surgiram algumas reflexões sobre que havia acabado de presenciar:

1) Será que esta é uma forma correta de educar uma criança que está neste mundo em tão pouco tempo?

2) Será que agindo dessa forma vai conseguir ser compreendida por uma criança de 2 anos?

3) Será que ele não estava desobediente por causa do comportamento da mãe irritadiça?

4) Estamos educando ou condicionando nossos filhos determinados comportamentos?

Acho que vale a pena fazer uma boa reflexão nestas questões.

Creio que este método talvez não seja tão funcional, portanto, acredito que o melhor caminho sempre é o diálogo, explicando com muita paciência e com uma linguagem simples o que é o certo e o que é errado, ainda mais para um bebê de 2 anos.

Como pais vocês devem estar questionando:

- Meu filho não obedece, só diálogo não vai funcionar!

É obvio que temos que ter bom senso, se diálogo não funciona devemos introduzir outras formas de dar limites, mais não gritando, usando a violência verbal ( rotulando, expondo crianças ou xingando) ou violência física. Cada pai deve encontrar o seu caminho e o seu método para lidar com limites de seus filhos, apenas sugiro que reflitam suas ações e condutas educativas, para não transformar seus filhos em adultos inseguros, traumatizados, com medo da vida ou com dificuldade de estabelecer relações, seja na sua vida pessoal ou campo profissional.

Outro ponto importante é que hoje as crianças estão cada vez mais tendo acesso a informação muito precocemente (tablets, computadores, internet, tv, etc.), portanto, cada vez mais estarão questionando os "porquês" de tudo que vê e aprende mais precocemente.

Portanto, educar não é algo fácil, ainda mais nos dias de hoje, por isso, o melhor caminho para educar uma criança é sempre encontrar um meio termo, um ponto de equilíbrio, para não punir demais ou enaltecer demais seu filho. Estude seu filho, preste atenção na sua personalidade e suas ações quando repreendido para melhor educá-lo. Tudo que tende para mais ou para menos também é prejudicial no processo de educação.

Na dúvida, procure sempre um profissional especializado, afinal, nenhum pai ou mãe nasce com manual de instruções para criar um filho!

Tudo é questão de equilibrio.

Fica o alerta!

Posts Recentes
Redes Sociais.
Procure por Assuntos:
  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook Black Round

© 2015 Corpo em Atividade

Evelyn de Paula Pereira
Profa. de Educação Física e Psicomotricista
CREF.: 003174-G/SP

 

Criação e Desenvolvimento

Rogério Restivo Webdesigner

www.restivo.com.br

rogerio@restivo.com.br